'

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Livramento


Eu pensei muito antes de chegar à conclusão de que eu precisava escrever para desabafar. Sabe, chega uma hora que o que você menos quer é tocar no assunto. Eu só queria esquecer, de tudo, de você.
Acho que no fundo é porque eu não queria acreditar. Não, óbvio que não, eu não queria acreditar que “a minha pessoa” poderia fazer o que fez. Mas hoje eu enxergo... você foi sempre assim, né? Sempre rodeado das merdas que você mesmo criou.
E eu achava que o problema era eu. Claro, não sou perfeita e sei de todos os erros que cometi, mas, cara, o problema é você! Quem não sabe conviver e viver junto, quem não sabe respeitar o próximo, quem não sente compaixão por quem mais te ama... É você, não eu. E hoje eu percebo que você faz isso com qualquer um (ou uma) que demonstre afeto por você. Você não sabe lidar com sentimentos bons que te são oferecidos.
O mais triste é que assim como eu tentei, ela e outras vão tentar, incansavelmente, fazer você cair em si, mas você não vai, né? Você não vai porque você não quer. Eu mesma tentei por anos te dar todo o amor do mundo, pra ver se te tocava, pra ver se você me amava de volta, pra te tocar por dentro, pra te mostrar que nem todo mundo vai te machucar. Eu tentei te ajudar incondicionalmente, tentei te amolecer, mas não deu.
E sabe, o mais incrível é que se você demonstrasse o mínimo de interesse, o mínimo de vontade de mudar, o mínimo de disposição de aceitar ajuda, eu continuaria tentando, assim como ela vai fazer. Mas hoje eu sei que você não quer. E ela um dia vai descobrir isso também. Tudo isso é muito triste, mas no fundo, quem perde é você. Você está incessantemente jogando fora pessoas boas que o destino põe em seu caminho.
Apesar de toda a dor que você me fez sentir, toda a angústia e sofrimento que você me fez passar até o início desse mês, hoje eu te digo que venci. Entendi que nada do que eu fizer vai mudar você, porque você não quer se melhorar. Toda essa penitência que eu passei com todas as suas cagadas, com todas as suas falsas esperanças, com todas as suas esnobadas e humilhações... tudo isso me fez (finalmente) entender que tudo sempre foi ao contrário do que eu imaginei. Não sou eu que não sirvo pra você, é você que não serve pra mim.
Você que não sabe ser feliz e vive de ilusão, de falsidade, de pseudo relacionamentos, de falsos amores. E hoje, eu tenho pena, pena de alguém como você, que tinha tudo pra ser um cara legal, escolher viver uma vida tão vazia. Cara, hoje a única coisa que eu quero de você é distância. Não dá mais pra me contaminar com tanto desamor que mora em ti.

Nenhum comentário :

Postar um comentário