'

terça-feira, 22 de abril de 2014

Há um dinossauro no meu coração...


Não sei explicar o motivo, mas outro dia me peguei pensando no teu jeito lindo de mexer no cabelo loiro. Olhei tua foto do dia em que o cortou no maior estilo "rebelde sem causa". Me peguei dando play nos áudios do WhatsApp pra ouvir tua voz mais uma vez. Me peguei olhando aquelas fotos tuas, acompanhando a transformação do azul em verde, e me perdendo na clareza do teu olhar.
Me peguei recordando as nossas conversas sobre aqueles livros que ninguém lê. Ri sozinha lembrando de quando você me chamou de “peixinha” pra me desejar boa aula de natação.
É, eu sinto tua falta sim. Podíamos ter vivido ao menos um pouco daquela “felicidade completa”. Pode ser que não tivesse acabado com a tua mudança por causa daquele meu sonho... mas deveríamos mesmo ter bebido aquele vinho, vendo aquele filme francês, num dia de chuva.
Pensei que talvez tenha sido melhor assim, melhor pra gente. Não se apegar ao ponto de sofrer quando você partir. Mas confesso que se um dia eu quiser me perder pelo Brasil, posso fazer algo de muito errado, só pra parar na tua delegacia. Ou talvez eu vá pra África procurar fósseis. Ou talvez eu aprenda basquete. Não sei. Talvez eu simplesmente apareça no teu apartamento pra exigir minha metade da coleção, talvez eu me esconda atrás de alguma árvore só pra te ver correr, ou quem sabe eu só passe perto do teu bar de toda sexta pra te ver de longe, numa sexta qualquer depois das cinco.
Eu continuo lembrando de você quando vejo um gatinho na rua, e parece que eles estão me perseguindo agora. Me arrependi de não ter passado mais tempo contigo, confesso. Demorou, mas também passou rápido... Mas se um dia você também sentir saudade, é só me chamar às nove, que eu vou até nossa esquina, só pra você beijar minha mão e eu poder sentir tua barba roçar meus dedos mais uma vez...

Nenhum comentário :

Postar um comentário